MULHERES PODEM SER ALÉRGICAS AO PARCEIRO; SAIBA MAIS

       O caso é raro, mas acontece. Algumas mulheres, apesar de apaixonadas, apresentam alergia ao parceiro, ou melhor, ao sêmen dele, trazendo muito desconforto para a vida sexual e podendo até mesmo ser uma das causas de infertilidade do casal.

       A vagina é revestida de mucosa e ás vezes há uma reação cruzada com as substancias que compõem o esperma, como proteínas, que levam á reação alérgica. Mas é algo raro e que atinge cerca de 3 a 5 % da população feminina apenas, contou Poliani Prizmic, ginecologista e obstetra da clinica Dr. José, na capital paulista.

       Alfonso Masaguer, ginecologista da Clinica Engravida de São Paulo (SP), contou que a alergia pode tanto acontecer apenas com um homem como com todos os parceiros que a mulher tiver ao longo da vida. As vezes algum medicamento ingerido pelo homem pode passar para o sêmen e para a saliva desencadeando a alergia na mulher, destacou o médico.

       Os principais sintomas da alergia são coceira ou ardor após as relações sexuais, corrimento e a vagina podem ficar inchada e muito vermelha. A dificuldade para engravidar também pode ser um indício, pois o organismo da mulher encara o espermatozóide como um corpo estranho e o mata, explicou Poliani.

        Há por volta de 10 a 15% dos casos de infertilidade que não possuem causa definida, sendo a alergia uma das varias possibilidades. Sabemos que o sistema imunológico feminino é muito importante no processo de gravidez e implantação do embrião, porem é um campo da medicina no qual estamos sempre descobrindo algo novo e os tratamentos para estas supostas alterações ainda não estão em grande parte validados, disse Massaguer.

Descobertas e tratamentos

          Poiani contou que o diagnostico de alergia ao sêmen do parceiro é muito difícil de ser realizado e há muita discussão no meio medico em relação a ele. Realizamos diversos exames antes de constatar que o esperma é o problema e muitas vezes o resultado é contestável, afirmou.

          O uso da camisinha é o método mais eficaz de evitar a alergia e seus transtornos. Ela ainda protege contra DSTs e outras doenças que também podem ser transmitidas pelo sexo oral. Por isso ela deve ser sempre usada, inclusive nessa pratica, frisou a ginecologista da Clínica José Bento.

Mas e quem quer ter filhos?

          A alergia ao parceiro não é algo sério, embora ambos os médicos tenham citado que há casos raríssimos na literatura médica sobre choques anafiláticos em mulheres hipersensíveis. Todavia, é algo que merece atenção e que pode ser acompanhado pelo ginecologista.

          Se houver o diagnostico de alergia ao sêmen também não é necessário entrar em abstinência ou acreditar que não poderá ter filhos. Para esses casos, é possível preparar uma vacina com esperma diluído e aplicar na mulher semanalmente em forma de injeção. Após três meses, o casal pode voltar a manter relações sem o uso do preservativo para tentar uma fertilização natural. Caso ela não aconteça, a inseminação artificial é uma alternativa, contou Poliani.